Bem vindo ao site pauloferreira.pt. Esta página e todos os seus conteúdos são propriedade de Paulo Ferreira. Encontrará temas relacionados com a sua actividade profissional, nomeadamente a informática, o AutoCAD, o Revit, o Civil 3D ou o 3ds max, a fotografia e o timelapse.

Revit Family Templates

Escrito por Paulo Ferreira. Publicado em Revit

Gostaria de deixar aqui alguns conceitos relacionados com a minha experiência de criação de templates no AutoCAD e mais recentemente das familias no Revit, optando pelo uso de templates. Primeiro que tudo há necessidade de nos apercebermos que quando as tarefas se tornam repetitivas, devemos parar para pensar e adoptar procedimentos que minimizem os custos de produção de determinado modelo 3D. Por exemplo, quando criamos as portas ou as janelas, em todos eles há necessidade de definição de elementos comuns, como sejam alguns parâmetros, materiais, etc. Um template por definição, é um documento (ou ficheiro) que é utilizado como modelo na construção de um elemento de determinado tipo. Como tal, deve conter todas as configurações e as definições que assumam este carácter repetitivo.

Quando alguns processos são executados em todas as familias que construimos, devemos optar por criar um template, e aplicá-lo a familias seguintes. O Revit não permite que se construam templates de familia a partir do "ponto zero", ou seja, podemos contornar esta impossibilidade usando como ponto de partida um template que seja compatível com o nosso objecto. Por exemplo, se formos criar um nova porta, devemos usar o template "Metric Door.rft". De seguida modelam-se os elementos repetitivos, desenham-se os "Elevation e Plan Swings" (bem como restantes elementos de anotação). Quando estiver terminada a definição dos elementos, podemos gravar a familia para utilização posterior, alterando manualmente a extensão do respectivo ficheiro, passando-a de *.rfa (revit family) para *.rft (revit family template). Este processo é possivel pois ambos os formatos de ficheiro guardam exactamente o mesmo tipo de informação.

Desta forma o utilizador pode garantir que deste modo os elementos criados obedecem aos mesmos standards, sejam eles denominação de parâmetros, como de todas as configurações que efectue nos ficheiros de familia e que pdoem definir materias, estilos de linha, de trama, nested families, etc.

Pormenorização em Revit Architecture

Escrito por Paulo Ferreira. Publicado em Revit

detalhe revitA pormenorização em Revit tem sido muito discutida entre quem utiliza esta ferramenta de projecto. Há quem diga que afinal (nunca percebi muito bem a surpresa) o programa não pormenoriza convenientemente. É minha opinião que quem pensa desta maneira, pensa erradamente! A verdade é que o software não faz milagres ou não tem um "botão" dos pormenores onde se clica e tudo aparece. A realidade simplesmente me diz que há fomas de conseguir este nível, mas só depois de o utilizador decidir o nivel de pormenorização que deseja dar a cada projecto. É relativamente óbvio que não basta que o programa faça cortes e vistas instantâneas com base nos seus componentes, para que se pense que também desenha a pormenorização nessa extracção de peças desenhadas. O nível de detalhe tem de ser especificado pelo utilizador. Penso até que se foi criando uma ideia de "facilitismo" junto de quem distribui este software que levou a que os profissionais desta área, olhassem para o Revit, desta maneira.

Por outro lado é sabido que o Revit possui uma biblioteca muito extensa de pormenores e com base nestes elementos, poderemos obter pormenores com mais qualidade do que no AutoCAD, pelo simples facto de que esse detalhe é coerente em qualquer momento com as vistas ou cortes. A maior ou menor relativa facilidade com que se trabalham as familias, é muito importante na obtenção dos melhores resultados.

Só faz sentido que se detalhe determinados elementos, se eles forem visiveis numa vista de alçado, corte ou planta. Caso contrário basta que seja anexado um detalhe de AutoCAD numa vista de desenho (Drafting View) e liga-la directamente ao pormenor.

Ligar e desligar plantas sobrepostas

Escrito por Paulo Ferreira. Publicado em Revit

De entre os muitos recursos que o Revit possui, existem bastantes que são importantes e indispensáveis para a criação das diversas vistas. Neste caso em concreto vou falar de um deles, designadamente a opção gráfica "Underlay" ou em português “Subjacente”, que nos permite mostrar um objecto ou desenho por exemplo de um pavimento inferior ou superior de forma sombreada, tendo por objectivo auxiliar a criação de paredes ou colocação de algum objeto que se pretenda que esteja alinhado com uma forma estrutural qualquer. Por exemplo, é muito útil quando pretendemos "construir" paredes "em cima" de outras paredes do piso inferior ou recortar a abertura para uma escada proveniente do piso inferior.

Para utilizar esta funcionalidade, devemos estar na vista de uma Planta de Piso, para podermos mostrar o que esta abaixo ou acima da planta que estamos a usar. Para ativar a visualização gráfica de alguma planta (do tipo grayscale), basta aceder à caixa de propriedades "Properties" e mais abaixo clicar na caixa de verificação “Underlay”. Por defeito, deve estar activa a opção "None" e para ativar a visualização de alguma planta é só escolher de entre as opções disponíveis neste campo, ou seja, todas as vistas em planta do projeto em curso.

Nas imagens seguintes é possível verificar a utilização das duas opções (None ou Piso).

underlay nenhum nivel

Na imagem anterior, a funcionalidade "Underlay" está desligada, pelo que não é visível qualquer planta sobreposta no Level 2

underlay nivel 1

Na imagem anterior é possivel visualizar a funcionalidade "Underlay" activa, pois mostra o Level 1 sobreposto com o Level 2.

Esta é pois uma dica que aumenta a produtividade, aquando da execução de plantas onde é necessário visualizar o que está imediatamente acima ou abaixo do Level activo.