Bem vindo ao site pauloferreira.pt. Esta página e todos os seus conteúdos são propriedade de Paulo Ferreira. Encontrará temas relacionados com a sua actividade profissional, nomeadamente a informática, o AutoCAD, o Revit, o Civil 3D ou o 3ds max, a fotografia e o timelapse.

AutoLisp

Escrito por Paulo Ferreira. Publicado em Lisp

Este artigo visaAuto LISP introduzir no meu site, um tema que não será para muitos, uma novidade. A partir de agora irei tentar introduzir no site alguns conteúdos que possam ajudar a entender melhor o que é afinal o "AutoLisp". Como primeiro passo tentarei explicar o que é e de onde vem esta forma de programação, bastante conhecida entre os utilizadores experientes de AutoCAD. Fundamentalmente o AutoLisp provém do LISP (uma linguagem de programação desenvolvida nos anos 50, que pretendia solucionar problemas de decisão, bem como desenvolver aplicações ao nível da inteligência artificial.

A característica que ressalta logo numa primeira abordagem é o facto de a maioria das funções e dos blocos funcionais, serem delimitados por parêntesis. Exemplo: (setq ponto '(4 8)). Esta função cria uma variável designada "ponto" e que contém os valores (4 8).

Breve história:

A partir de 1986, o AutoLISP tornou-se numa linguagem nativa dentro do AutoCAD (penso que a partir da versão 2.18. Mais tarde (cerca de 10 anos) e na famosa versão 14, passou a ser introduzido como opção o ambiente Visual Lisp, que incorporava uma interface de programação e que incluía ferramentas de correcção de erros , bem como um compilador para tornar mais fácil a criação de aplicações (por exemplo no formato VLX). No ano de 1999 surge o AutoCAD 2000 (boa edição) e que possuía o Visual Lisp. A partir daí o VBA teve um maior peso e o Visual Lisp foi deixado no esquecimento. Aparentemente a própria Autodesk não demonstrava grande interesse em fazer prevalecer a linguagem mais fácil e ao contrário, optou durante um bom período de tempo por outras linguagens, como por exemplo, VB.NET ou C#.NET. Recentemente na versão 2011 do AutoCAD o VBA não foi suportado. Isto prova que apesar de terem surgido outras linguagens concorrentes, o Visual LISP continua a ser uma forma fácil, prática e eficaz para o desenvolvimento de aplicações dentro do AutoCAD. Apesar de todas estas mudanças o Visual LISP ainda é uma boa ferramenta de programação para quem necessita de "escrever pequenos programas" que facilitam muito as tarefas rotineiras do dia-a-dia.

Esta é pois uma ferramenta de eleição para quem deseja desenvolver aplicações e para concretizar esta tarefa, basta que simplesmente faça uso da linha de comandos, ou de um ficheiro de texto do notepad, no formato "lsp, que será "carregado posteriormente".

Em breve colocarei mais conteúdos no site, sobre esta matéria, e que podem ser consultados aqui: Programação em AutoLisp.