Bem vindo ao site pauloferreira.pt. Esta página e todos os seus conteúdos são propriedade de Paulo Ferreira. Encontrará temas relacionados com a sua actividade profissional, nomeadamente a informática, o AutoCAD, o Revit, o Civil 3D ou o 3ds max, a fotografia e o timelapse.

XREF - Referência externa

Escrito por Paulo Ferreira. Publicado em Profissional

Sei que o uso de xref´s tem sido sempre um tema dificil de falar e mais ainda...de implementar junto dos utilizadores do AutoCAD. Talvez porque é uma funcionalidade que tem de ser conhecida, muitas das vezes a maioria de nós opta por não lhe dar o devido uso. Não é o meu caso, pois já há alguns anos que "uso e abuso" deste método de trabalho em ambiente de escritório e em parceria com outros utilizadores, o que me permite explorar ao máximo todas as barreiras que possam surgir na sua implementação. Vou de seguida apresentar um método que permite usar os Xref´s sem que tenhamos complicações no futuro, como por exemplo, a partilha de ficheiros com entidades externas ao nosso escritório ou gabinete de projecto.

1º - É preciso ter em mente que o ficheiro *.dwg que vamos importar como Xref deverá estar sempre no mesmo directorio onde temos o ficheiro base final que usamos para trabalhar. Note-se que poderá estar num caminho diferente (tipo base de dados ou arquivo, mas não é a melhor prática, para quem ainda não domina este método).

2º - Começamos por ir ao menu Insert -> Dwg reference...

DWG Reference...

De seguida escolhemos o ficheiro em "Select Reference File":

Select Reference File

De seguida basta escolher a opção "Relative Path" em Path type:

Relative Path

Se surgir esta caixa de diálogo:

Attach External Reference

É pelo facto de ainda não termos gravado o ficheiro onde estamos a tentar importar o Xref, pelo que basta grava-lo que já não surgirá. Note-se que esta opção é a melhor, uma vez que usa um caminho relativo, querendo dizer, na prática que o AutoCAD procurará sempre pelo Xref junto ao ficheiro base (pelo seu nome, pelo que não será recomendável mudá-lo posteriormente) . Nesta caso os caminhos (caso hajam na localização do Xref, nao serão gravados) e não teremos problemas quando enviamos o ficheiro para outros colaboradores fora do local onde temos o nosso AutoCAD instalado. Por exemplo, basta que se altere uma letra da unidade do disco rígido (C: para D:) e o Xref já não será carregado (se usarmos a opção Full path, por exemplo). Lembre-se sempre que as máquinas das outras pessoas que trabalham com o AutoCAD têm as suas próprias configurações. Espero ter ajudado de alguma forma com este pequeno texto muito resumido. Cumprimentos, Paulo Ferreira

 

Tonalidades dos layers

Escrito por Paulo Ferreira. Publicado em Profissional

Todos os dias procuro novas formas de desenho para projecto, quer se trate de projectos de arquitectura, quer de engenharia. A ferramenta que uso para executar os desenhos dá pelo nome de AutoCAD e não precisa de ser apresentado aos leitores deste artigo. Hoje vou colocar aqui uma nova implementação que ocorreu na versão 2012 do software e que posso designar por transparências de layers (tonalidades de layers). No passado era possível controlar a transparência de por exemplo um Xref ou uma imagem anexada a um ficheiro de AutoCAD. Esta funcionalidade permitia desvanecer algo que não queriamos que ficasse realçado e permitia na maioria das vezes ter uma leitura do desenho mais concreta e explicita do que pretendiamos apresentar. Dou como exemplo, um levantamento topográfico que serve de base á execução das especialidades (nomeadamente redes públicas ou prediais). Neste caso queremos usar os dados das curvas de nível, mas por outro queremos realçar as redes. Claro está que esta funcionalidade não tem repercussão na fase de plotagem.

Na versão 2012 surge uma nova funcionalidade que tal como a que referi no inicio, permite desvanecer todos os layers que existem no nosso desenho. Permite controlar todos os layers de uma forma independente, tornando assim possível atribuir a cada layer, um maior ou menor desvanecimento. Este valor pode variar entre o e 90. A variável que controla esta funcionalidade dá pelo nome de CETRANSPARENCY. Podemos de uma forma intuitiva e prática alterar os valores no gestor de layers (Layer Manager), tal como exemplifico na imagem que anexo:

Transparência de layers

 

 

 

 

 

 

 Gostaria ainda de realçar que esta funcionalidade permite ter um valor no model e outro na viewport, como acontece já com as cores. Espero que esta dica seja de certa forma útil para quem, tal como eu, gosta de trabalhar com o AutoCAD.