Bem vindo ao site pauloferreira.pt. Encontrará aqui alguns temas relacionados com a sua atividade profissional. Divirta-se!

Estilos de cantos de linhas

Escrito por Paulo Ferreira. Publicado em Profissional

Estilos de cantos de linhasPorventura a maioria de nós já encontrou ficheiros de AutoCAD que quando "plotados" apresentam linhas arredondadas nos cantos, ou outras formas que não as habituais e quando vamos verificar o desenho no model space, estas linhas não estão com nenhuma espessura, nem arredondamento. Pois muito bem, esta capacidade de alterarmos a forma como os cantos de linhas são "plotados" tem uma razão de ser, que passa pela configuração dos estilos de plotagem que usamos diariamente. Por exemplo, a imagem em anexo tem as configurações do Plot Style Table Editor, conforme é visivel (Line end style -> Square, Line join style -> Round). Para procedermos á alteração podemos ir ao gestor de estilos de plotagem e editar o estilo que usamos. Acedemos ao separador Form View e alteramos ao nosso gosto. No entanto é necessário ter atenção a esta funcionalidade, uma vez que pode alterar os estilos de texto. Quando isto acontecer devemos verificar se o texto se encontra no layer que foi definido para usar este estilo. Por defeito o campo Line end style está definido para "Use object end style" e o campo Line join style está definido para "use object join style"

Percorrer várias viewports

Escrito por Paulo Ferreira. Publicado em Profissional

Percorrer várias viewportsQuantas vezes nos deparamos com a dificuldade de podermos seleccionar uma viewport que se encontra "dentro" de uma outra, para que possamos edita-la? Normalmente quando é criada, é de fácil selecção, mas mais tarde não conseguimos "clicar" dentro dela para fazermos alguma alteração. Em certos layouts é sempre bom podermos percorrer as viewports, ainda mais quando são bastantes. O AutoCAD tem uma funcionalidade que permite percorrer todas as viewports de um determinado layout. Para o efeito basta que usemos a combinação de teclas Ctrl+R repetidamente até chegarmos à viewport desejada.

 

Caminhada Pitões das Júnias

Escrito por Paulo Ferreira. Publicado em Multimédia

Pitões das JúniasNo passado Sábado (17 de Setembro de 2011) realizei uma caminhada promovida pelo Bota - Rota em Pitões das Júnias - Gerês, cujo objectivo era acampar uma noite nas proximidades da capela de S. João da Fraga e visualizar o nascer do Sol a uma altitude considerável (cerca de 1100 metros). Como é óbvio não perdi esta oportunidade para realizar o percurso que estava definido, cujas paisagens me proporcionariam excelentes fotografias. Muitos perguntarão por que razão misturo fotografia com o tema principal deste site: o AutoCAD. Pois bem, é sempre bom podermos ser naturais e conjugar a vida profissional com os tempos livres e respectivas formas de lazer, para fugir um pouco á rotina. Desta forma, os conteúdos deste site não se tornam tão exaustivos num único assunto e tanto eu como o leitor pode descontrair com os links que coloco, nomeadamente a fotografia. De uma forma resumida, passo a descrever o percurso realizado:

Depois de termos saído de Gondomar por volta das 07:30 da manhã, chegamos a Pitões das Júnias por volta das 09:30. Logo à chegada fiquei surpreendido com a aldeia que se desenvolve numa encosta que confronta com as serranias agrestes do Gerês. Foi decidido percorrer as ruas da aldeia logo depois de um pequeno almoço "reforçado", numa casa tipicamente do Barroso, tendo em conta os trilhos sinuosos que nos aguardavam. Gostaria de realçar a capacidade de comunicação e conhecimento que a responsável pelo ECOMUSEU possuía, aquando da nossa visita. Desde já muito obrigado pela forma com que nos recebeu. De seguida e depois de provar alguns bons licores da região, metemos pés ao caminho. Alguns minutos depois estavamos no Mosteiro de Santa Maria das Júnias. É possível ali apreciar o sossego da natureza, e refrescar-se nas águas limpidas que correm junto ao Mosteiro. Novamente avançamos para uma cota inferior e chegamos à Cascata de Pitões das Júnias, cujos acessos foram melhorados de forma a ser mais fácil visitar o local. Trata-se de uma cascata com vários patamares, sendo um deles com cerca de 30 metros. Finalmente estava num dos meus locais preferidos (a água é para mim um motivo fotográfico de eleição). Ali estive cerca de 15 minutos a admirar o local e a fazer algumas fotografias e rapidamente tive de me juntar ao grupo onde me integrava.

Depois de várias paragens ao longo do percurso entre a cascata e a capela de São João da Fraga, para almoçar e lanchar, bem como para refrescar do dia quente que estava, e uma vez passados os bosques densos de carvalhos, estavamos a subir em direcção ao local para pernoitar. Era agora possível avistar Pitões das Júnias de um local oposto e deslumbrar-me com as sombras a percorrerem os vales até à aldeia (aquando do pôr do sol). Uma vez chegados ao local, foi montada uma tenda para alojar todo o grupo e a noite foi passada em claro, como é normal para um "novato como eu nestas andanças", não sem antes ter estado a fotografar o céu, cujas imagens são sempre espectaculares. Na manhã seguinte houve lugar a mais um momento de fotografia impressionante, quando nos deslocamos ao cimo do rochedo onde se situa a Capela de S. João da Fraga e podemos ver o nascer do sol no horizonte que circunda a região. Só quem presencia um momento destes consegue dar valor á Natureza. Podem ver algumas fotografias na minha Galeria.

Texto superior à linha

Escrito por Paulo Ferreira. Publicado em Profissional

Raramente nos deparamos com o que a seguir vou mencionar, contudo e porque aconteceu comigo, irei disponibilizar esta dica aqui no meu site. Todos sabemos que o editor de texto do AutoCAD tem funcionalidades muito idênticas ao editor de texto da Microsoft (mais conhecido por Word). É também do conhecimento da maioria dos utilizadores do AutoCAD, que é possível colocar texto superior à linha de uma forma expedita, mas um pouco limitada ao mapa de caracteres (por exemplo numeros ao cubo ou ao quadrado). Não menos do conhecimento é a inserção destes caracteres poder variar na forma como é feita através de combinações de teclas (por exemplo o quadrado ser \U+00B2). Contudo o editor de texto do AutoCAD permite uma forma mais simples de adicionar por exemplo, letras e numeros superiores à linha (dá imenso jeito nas formulas e nas designações de certos objectos em Engenharia) e que dá pelo nome de "STACK". Esta funcionalidade é visivel na caixa de contexto do editor, pelo que é preciso estarmos em ambiente de Mtext e escolhermos esta opção conforme indicação da imagem que se segue e que ajuda a desvendar onde se encontra:

Stack

Avistar um esquilo em plena natureza

Escrito por Paulo Ferreira. Publicado em Multimédia

EsquiloHoje em dia é raro podermos avistar esquilos "ao vivo" em plena natureza. Tive a sorte de numa das minhas caminhadas de Domingo (quando lá vou pois resido fora) na minha terra natal (Melres-Gondomar), ver um esquilo que me proporcionou duas fotos e logo de seguida desapareceu por entre os ramos dos carvalhos onde devia estar á procura de comida para armazenar. Decidi colocar aqui a foto e um link para a minha galeria onde esta poderá ser vista com mais qualidade. Penso que é um motivo de orgulho fazer uma foto destas a este animal, uma vez que não são conhecidas presenças deste tipo de animal na localidade em questão. Sempre gostei da natureza e nunca tinha visto um exemplar destes em Melres. Espero continuar a vê-los por muito mais tempo, para que os possa fotografar.

Substituir fontes em falta nos desenhos

Escrito por Paulo Ferreira. Publicado em Profissional

Sempre que criamos estilos de texto no AutoCAD, as fontes de texto associadas aos estilos não fazem parte do ficheiro *.dwg e como tal há que ter algum cuidado na sua escolha. A forma mais correcta é usar fontes do tipo "standard" existentes ou no AutoCAD ou no sistema operativo, para que não tenhamos surpresas quando nos dão um "feedback" de que há algo errado com os textos de um desenho enviado para alguém que necessita de visualizar o ficheiro numa outra máquina. O processo de carregamento da fonte por parte do AutoCAD é o seguinte:

  • Primeiro o programa faz uma procura do ficheiro fonte necessário para abrir um *.dwg no caminho de pesquisa definido nas "Options", se ele residir lá, então não há problema.
  • Se não existe a fonte no caminho definido por defeito, então o AutoCAD procura nas fontes do sistema operativo.
  • Quando a fonte não existe nem num lado nem no outro, então surge-nos uma caixa de alerta e normalmente nas versões mais antigas era  um grande problema, contudo agora há uma solução.

Felizmente o AutoCAD faz a substituição automática sempre que há fontes em falta num desenho. Assim e por defeito essa substituição é feita com base no ficheiro simplex.shx. Uma solução que á partida resolve o nosso problema, ms que pode ser melhorada se optarmos por fazermos nós próprios a escolha do tipo mais adequado e mais parecido com a fonte em falta. Basta que para isso façamos uso da variável FONTALT na linha de comandos do AutoCAD (prompt). Depois do comando surge a opção para escolhermos o novo ficheiro que irá substituir a fonte em falta.

Em alternativa e caso não saibamos os nomes dos ficheiros que podemos escolher, existe ainda uma forma mais fácil de fazer esta alteração e onde podemos visualizar os ficheiros que podem ser escolhidos. Basta que usemos as opções disponiveis em "Options" no separador "Files". Expandimos "Text Editor, Dictionary, and Font File Names" e vamos a "Alternate Font File" conforme imagem anexa. Seleccionamos e fazemos uma procura "Browse". Nesta fase surge uma caixa de diálogo que permite então visualizar e escolher as fontes que precisamos que o AutoCAD use para substituir as fontes em falta.

Este é pois um problema usual mas que pode ser "remediado" caso não nos enviem as fontes necessárias para que determinado desenho "renderize" normalmente os tipos de textos.

Acelerar o AutoCAD com QTEXT

Escrito por Paulo Ferreira. Publicado em Profissional

Todos os dias debatemo-nos com problemas de desempenho do AutoCAD. Na maioria das vezes o problema não está nas características de hardware da máquina e muito menos na capacidade do operador do software. Antes sim, nos enormes ficheiros *.dwg que requerem muitos recursos dos programas que os produzem, pelos mais variados motivos, como por exemplo, imensos textos, referências externas, novas funcionalidades de parametrização, imagens e tabelas de excel, novos métodos de desenho e novas formas de representação de objectos e entidades. Actualmente o AutoCAD não é um programa de mero desenho vectorial. Neste tópico vou-me centrar numa das situações que ocorre mais vezes, que é a manipulação por parte do AutoCAD de textos existentes num desenho e que é um dos problemas de gasto de recursos conhecido, quando estamos a produzir um determinado desenho, parte integrante de um projecto.

Sempre que temos um ficheiro com enormes quantidades de textos e pretendemos "acelerar" o desempenho do AutoCAD, podemos usar um comando do AutoCAD, que permite diminuir o tempo dos famosos "redraws e regenerations"  (REDRAW e REGEN). Basta que para isso não necessitemos de usar ferramentas de edição de texto. O comando dá pelo nome de "QTEXT" e "desliga" os textos na opção "ON", fazendo aparecer ao mesmo tempo uma caixa rectangular em torno desse texto, o que evita termos de estar atentos ás linhas que porventura possam ser desenhadas em cima dos textos. Este comando permite ao AutoCAD, não gastar recursos a "renderizar" todas as letras. É uma boa dica para todos os que lidam com problemas de desempenho do programa, no dia a dia.

Command: qtext
Enter mode [ON/OFF] <OFF>: ON
Command: re
REGEN Regenerating model.
Command: QTEXT
Enter mode [ON/OFF] <ON>: off
Command: re
REGEN Regenerating model.

Comando copy com opção de Array

Escrito por Paulo Ferreira. Publicado em Profissional

Conforme tem vindo a ser verificado, tenho colocado assiduamente alguns textos relativos à minha actividade profissional, refiro-me em concreto ao AutoCAD. Assim sendo e no cumprimento desta assiduidade volto a colocar aqui mais uma "dica" relativa ao uso do comando "Copy" que foi reformulado no AutoCAD 2012. Nesta versão é possível usarmos o referido comando, conjugado com a opção de "Array" de forma a obtermos mais rendimento em algumas tarefas do dia-a-dia. Refiro-me por exemplo ás múltiplas cópias de entidades de desenho, cuja posição nos eixos dos "x" e dos "y" é conhecida, bem como o seu afastamento. Podem ser imensas as situações onde podemos usar esta "mais valia".

Um pequeno excerto retirado da linha de comandos do AutoCAD 2012:

Link para o meu site com a mesma demonstração na versão HD: Copy com Array em HD

embed video plugin powered by Union Development

Contemplando o fotógrafo

Escrito por Paulo Ferreira. Publicado em Multimédia

Esta fotografia foi tirada numa recente caminhada promovida pelo Bota Rota (grupo que promove algumas caminhadas na zona do Gerês e na serra da Freita e ao qual me juntei há algum tempo) e estava esquecida...Cavalos do Gerês Hoje e aproveitando algum tempo livre em período de férias, decidi publica-la no meu site de fotografia (http://www.galeria.pauloferreira.pt) pois acho que tem uma particularidade (estão nela presentes 3 cavalos, sendo um deles um potro que está nas traseiras do lado esquerdo, pelo que só se vêem os membros inferiores). O mais surpreendente e que nunca esquecerei, foi o momento que me proporcionaram ao possibilitarem-me uma  pose para (um amador como eu) poder tirar o respectivo retrato... Ora como eu estava a procurar o melhor ângulo para a memória futura, penso que demorei tempo demais e talvez irritados com a situação começaram-me a intimidar com movimentos de auto-defesa...pelo que tive de me retirar do local rapidamente e uma vez esquecido este episódio, só hoje tive coragem para a publicar...Espero que seja do agrado do casal!...pois talvez um dia lá passe novamente e gostava de ver o trilho livre.

Desvanecimento de XREF

Escrito por Paulo Ferreira. Publicado em Profissional

Sempre que inserimos um XREF num desenho, ele normalmente surge com um efeito desvanecido. Tal situação tem a ver com o valor de uma variável (XDWGFADECTL) que compreende valores entre -90 e 90 conforme a seguinte devolução da linha de comandos "Enter new value for XDWGFADECTL:  Requires an integer between -90 and 90". O valor máximo torna o XREF com um desvanecimento quase total e o valor mínimo (-90) torna o XREF perfeitamente visivel (quase como um desenho normal). Existe uma outra solução que passa por alterar o valor "Xref display" na caixa de diálogo das Opções do AutoCAD, conforme imagem anexa.

Esta ferramenta pode ser usada quando pretendemos salientar o desenho em produção do desenho que lhe é base (XREF). Por exemplo quando desenhamos especialidades "em cima" de um suporte de arquitectura (plantas, cortes, alçados) que foram introduzidas como um XREF.

Abraço,

Paulo Ferreira