Etiqueta: Lua

IV Edição das Experiencias (G)astronómicas

IV Edição das Experiencias (G)astronómicas
IV Edição das Experiencias (G)astronómicas

O Município de Proença-a-Nova e o Centro de Ciência Viva da Floresta, vão promover no próximo dia 13 de julho de 2019, a IV edição das Experiencias (g)astronómicas. Trata-se de um evento que alia a gastronomia local ao conhecimento e ao contacto com a natureza. Este ano celebram-se os 50 anos da chegada do Homem à Lua. Neste sentido, Paulo Ferreira foi convidado a participar neste evento, através de uma palestra cujo tema é “Como fotografar a Lua”.
Será no próximo dia 13 de Julho e terá como ponto de partida pelas 16H00, o Posto de Turismo de Proença-a-Nova e depois, seguirá para o Casalinho, Carregais e terminará na formosa aldeia de Sobral Fernando!
As inscrições devem ser feitas no Centro Ciência Viva da Floresta. Mais informação em:
http://www.ccvfloresta.com
info@ccvfloresta.com
Tel.: 274 670 220

Superlua de 2019: “Um momento único”

Na primeira superlua de 2019, Paulo Ferreira registou o fenómeno no Monte Crasto, em Gondomar: foi durante um eclipse lunar total, ao longo de cinco horas, com a sombra da Terra a criar a ilusão de uma Lua maior e vermelha.

O fenómeno iniciou-se, numa fase parcial, pouco depois das 3.30 horas (hora de Lisboa), quando a Lua começou a esconder-se na sombra que a Terra projeta no espaço, e terminou às 7.50 horas, quando a Lua ficou totalmente destapada.

O fenómeno astronómico a que se assistiu na última madrugada teve a particularidade de ser um eclipse total de uma superlua, proporcionando, a quem observou, a ideia de que a Lua estava maior.

“Existem momentos únicos na vida. Este é um deles”, afirma Paulo Ferreira. “Até porque não é todas as noites que se pode assistir a um fenómeno tão intrigante e mágico, quanto um eclipse”.

O próximo eclipse total da Lua acontecerá em maio de 2021 e não será visível em Portugal.

A fotografia que Paulo Ferreira fixou ontem “é o resultado de uma composição de 12 registos ao eclipse que aconteceu” na técnica de timelapse, explica. “Quase todas elas com um intervalo de cerca de 15 minutos”. Veja a notícia em: A Última Fronteira