Etiqueta: Paulo Ferreira

O Charco

Em período de confinamento, realizei um vídeo de cerca de 8 minutos de duração, nas proximidades de minha casa. Como não tinha forma de passar o tempo, decidi fazer algumas fotografias nuns terrenos agrícolas e para meu espanto encontrei alguma fauna e flora que rapidamente percebi serem um ponto de partida para um trabalho de maior dimensão.

Foram longos dias de solidão num abrigo camuflado, sempre na ânsia de registar aquela fotografia tão especial ou aquele plano de vídeo ou timelapse surpreendente. O período de confinamento proporcionou que fosse possível registar os sons naturais daquele espaço. Todas as manhãs ou ao final da tarde, fui gravando áudio para mais tarde utilizar neste filme.

Muito mais do que um documentário curto sobre a fauna e flora do local que fica praticamente no seio de uma zona densamente urbana, este foi um trabalho que surgiu da motivação que arranjei para passar estes tempos tão difíceis.

O filme conta com a  voz do Eduardo Rêgo, um locutor Português, possível de encontrar em trabalhos de TV nacional e internacional.

Veja o filme aqui

Lockdown Porto

Fotografar o Porto tem sido para mim, nos últimos anos, uma paixão que vem crescendo, alimentada pela luz que a cidade imana, contrariamente ao que se pensava no passado. As recentes alterações arquitectónicas, aliadas à recuperação urbana, tornam a cidade um motivo fotográfico. Por isso gosto tanto de a fotografar, filmar ou “timelapsar”. Nos tempos que vivemos, senti que a pandemia veio esfriar a cidade e que a vida se tornou cinzenta. Como tive a possibilidade de sair durante este período de confinamento, por motivos ligados à minha actividade profissional, acabei por registar algumas imagens da cidade, total ou parcialmente deserta. Assim, e motivado pela esperança de que melhores dias virão, decidi realizar este vídeo durante este período. Quero que seja uma janela de luz e esperança para todos aqueles que adoram esta cidade. Nele estão retratados dois períodos bem distintos: o antes e o pós-confinamento, com uma passagem pelas terras Durienses, onde as searas continuaram a crescer, representando um sinónimo de vida.

Ser patrono do Paulo Ferreira

A partir de hoje é possível tornar-se patrono dos filmes do Paulo Ferreira. Desta forma, qualquer pessoa ou empresa pode ajudar o Paulo a realizar mais filmes, quer em Portugal, quer ao redor do mundo. Junte-se à causa do Paulo Ferreira e contribua para que o nosso mundo, a nossa única casa, seja um local como todos ansiamos.  Um local que possamos viver em perfeita harmonia com a natureza. O Paulo, através dos seus filmes, tenta suscitar consciência nas pessoas para problemas tão fáceis de resolver, mas que muitas das vezes não estamos disponíveis para o fazer. Urge apelar à consciência global. O momento que atravessamos é sinónimo dos problemas que criamos. Seja patrono.

 

 

 

Paulo Ferreira na Noruega

Seja patrono do Paulo Ferreira

Timelapse Alvão – 2010

Em 2010, depois dos primeiros passos na técnica de timelapse, comecei a desenvolver a minha primeira “dolly” que me permitiu sair dos planos fixos (tripé apenas) para o timelapse em movimento. 10 anos se passaram e decidi reeditar esses mesmos planos, removendo os problemas de flicker e estabilidade o mais possível. Não está perfeito mas acreditem que os planos originais estavam mesmo “ruins”. Aqui fica o vídeo, todo ele registado no Parque Natural do Alvão. A dolly com a qual registava os primeiros planos de timelapse com movimento, data de 2010. Actualmente possuo o Stage One.
Visualizar no Youtube

As cores de Inverno no Alvão

O Parque Natural do Alvão, tem sido para mim, um lugar mágico que me permite fotografar ao longo de todas as estações do ano. Todos os anos regresso ao parque e todos os anos fico surpreendido com o que ele me oferece. Quase sempre o faço para caminhar, fotografar, filmar e registar planos de timelapse. Procuro os detalhes do parque. Os pormenores. Aqueles recantos, que só quem caminha, descobre. É minha opinião de que não tem sido devidamente acompanhado pelas entidades que a ele estão ligadas. Deveriam cuidar dele de uma forma mais assídua, com aplicações práticas ao nível da reflorestação e ordenamento. Apesar disso, continuo a fazer o meu trabalho, a titulo individual e isento de forças externas. Deixo aqui algumas fotografias que registei há relativamente pouco tempo, de alguns recantos do parque e que são o exemplo das cores e tonalidades que se verificam nesta época do ano. O fim do Inverno e o inicio da Primavera. Tons de verde e amarelo que afastam as cores frias do Inverno e que são sinónimo da chegada da Primavera. Já se vêem as pessoas a conversar junto aos ribeiros que atravessam estes terrenos de cultivo. Os animais pastam ali mesmo ao lado, procurando os suculentos rebentos verdes da erva e dos arbustos. Longe da aldeia global, esta gente “da aldeia” que teima em não se ligar ao mudo, vive o seu dia a dia. Devagar. Como deveria ser vivido. O problema será quando desaparecerem. A pequena aldeia perde a ligação à aldeia global e tudo termina. No esquecimento. Perde-se assim mais um dos elos que nos ligam à natureza.

As cores de Inverno no Alvão - R5A4978

Image 1 of 6

As cores de Inverno no Alvão

Para visualizar a fotografia em tamanho maior, clicar em cima da imagem.

Hearth Festival

Hearth Festival
Hearth Festival
No âmbito do programa Hearth Festival, que decorre de 22 de fevereiro a 29 de março, Paulo Ferreira foi convidado para a realização de dois eventos. Ambos no dia 14 de março, sendo o primeiro no período da manhã (no Parque das Serras do Porto) e o segundo à noite, no Auditório Municipal de Gondomar.
O primeiro será uma caminhada fotográfica e o segundo será a apresentação do documentário curto do Parque das Serras do Porto, integrado no Septeto de L. v. Beethoven.
A fotografia de natureza, apesar de ser um evento gratuito, tem necessidade de inscrição e o numero máximo de participantes será de 12.
Mais informação e inscrições aqui:
https://www.novaterra.com.pt/l/programa/
Programa completo:
https://www.cm-gondomar.pt/…/02/Programa_Hearth_Festival.pdf
A programação deste evento oferece a oportunidade de vivenciar a natureza e a expressão artística de mãos dadas!

AmDocs selecciona This Is Our Time

AmDocs-Festival de cinema
AmDocs-Festival de cinema

O documentário curto “This Is Our Time”, um filme que ainda não é do conhecimento público, acabou de ser seleccionado para o AmDocs (American Documentary And Animation Film Festival and Film Fund). É um festival que se realiza todos os anos em Palm Springs – Califórnia e que premeia os filmes realizados de forma independente.

O mais interessante neste festival é que ele é reconhecido pela Academia de Hollywood e como tal os filmes vencedores podem ser apurados para os “Óscars”. Uma notícia fantástica que só pelo facto do documentário ter sido seleccionado, é já uma vitória. Um reconhecimento do trabalho realizado. Muitas das vezes de difícil concretização, estes trabalhos têm sido premiados com alguma regularidade e isso dá ânimo para continuar.

O filme será dado a conhecer ao publico, no próximo dia 22 de abril de 2020 (Dia Mundial da Terra). Entretanto e até lá, esperamos continuar a ver reconhecido todo o trabalho que foi realizado.

Um agradecimento especial a todos os profissionais que estiveram envolvidos neste filme. São eles:

Laurence Alves (Narrativa), Conrad Harvey (Locução), Paulo F. Silva (Consultor), João Sousa (Engenheiro de som) e Marco Ribeiro (Making Of).

Uma nota de apreço pela contribuição dada pelos patrocinadores. São eles:

Claranet Portugal, Goldnature, LadoB – A Melhor Francesinha do Mundo, Opticália de Gondomar, Rosalar, Medicina Dentária – Clínica de Gondomar, Delete Informática, PTlapse, Dental Doctors – Gondomar, PPSEC Engenharia.

About Festival:

[…]Our inaugural festival, in April 2012, honored Oscar winner Oliver Stone on Opening Night with the “Filmmaker Who Makes A Difference” award, and the screening of his provocative documentary, “Commandante.” That year, AmDocs screened 80 international films in a single theatre. Since then, AmDocs has grown exponentially, with honorees and guests including 5-time Grammy winner Dionne Warwick, Oscar nominee Julie Cohen, actor Peter Coyote, acting legend and humanitarian George Takei, Oscar nominee Peter Bogdanovich, director Joe Berlinger, actor Pierce Brosnan, native rights activist Sacheen Littlefeather, actor Shia LaBeouf, 7-time Emmy winner Ed Asner, 11-time NAACP Image Award winner Kristoff St. John, activist Cleve Jones, and many more. Our 2013 festival was the first to include animated film entries.[…]

Prémio da audiência atribuído a “This Is Our Time”

Prémio no festival TMFF
Prémio no festival TMFF

O documentário curto “This Is Our Time” recebeu ontem um prémio atribuído pela audiência. Trata-se do festival online “The Monthly Film Festival”, um evento mensal que premeia os documentários independentes. Apesar do filme ainda não ser publico em Portugal (será dado a conhecer no Dia Mundial da Terra), começa a ter visibilidade internacional, nomeadamente o reconhecimento pelos jurados dos festivais de cinema onde está a concurso.

O prémio pode ser consultado aqui: The Monthly Film Festival

A par do prémio, este festival dá a possibilidade de incluir o trabalho na famosa base de dados mundial de filmes, o IMDb onde Paulo Ferreira já possui alguns documentários inscritos (https://www.imdb.com)

Fin De Sendero Del Glaciar

Sendero Del Glaciar
Sendero Del Glaciar

Ao longe, o canal de Beagle e a ilha de Navarino, no Chile. Que visão extraordinária, um quadro natural a merecer contemplação.

À saída de Ushuaia a tarde estava amena, mas a aproximação ao glaciar fazia-se notar amiúde no arrefecimento do ar. A chegado ao topo da subida havia terminado. Podia agora respirar bem fundo e aliviar a pressão causada pelo esforço feito. A primeira etapa estava ultrapassada. Depois de atravessar uma pequena ponte de madeira que levava ao lado contrário do riacho que resulta do degelo da neve na montanha, o trilho era agora bem mais suave embora bastante lamacento. Foi aí que acelerei o passo, sempre com os olhos postos no cume da montanha que estava bem na minha frente e de onde já era possível ver o glaciar.

O caminho serpenteava ao longo do riacho e aqui ou ali eu ia fazendo fotografias, para alguns quilómetros à frente a planície dar lugar à subida cujo trilho estava bem delineado na encosta da montanha. Havia um contraste muito grande entre a rocha cinzenta e o trilho definido pela constante presença do Homem. Fiquei com a perfeita noção da distância que ainda faltava percorrer. A subida era demasiado dura e eu carregava todo o equipamento às costas, mas lá diz o ditado: quem corre por gosto não cansa.

O deslumbre da paisagem era motivador. Duas horas após o início estava no fim do trilho: Fin De Sendero Del Glaciar, inscrevia-se numa placa informativa. Bem por cima de mim estava o enorme glaciar. Imponente, anunciando-se ao Mundo de maneira imperial pelo som aterrador surgido do atrito causado pelo seu movimento.

Posicionei o tripé ao nível do solo, pois o vento era bastante forte e derrubava-o sempre que o levantava à altura máxima; ajustada a câmera, agarrei-me a ele e ali fiquei durante longos cinco minutos, aninhado.

Aotearoa semi-finalista no Los Angeles CineFest

Los Angeles CineFest
Los Angeles CineFest

O documentário curto Aotearoa – We Are All Made Of Stars, é semi-finalista em Los Angeles. Trata-se do festival internacional de cinema Los Angeles CineFest. O diretor do festival é o conceituado Mark Mos. Um Editor, Director e Produtor de filmes em Hollywood. Esteve envolvido em filmes como por exemplo “Gladiator”, premiado com um Óscar (Russell Crowe). “Missão Impossível 2” (Tom Cruise). “Gone in 60 seconds” (Nicholas Cage, Angelina Jolie). “How the Grinch Stole Christmas” (Jim Carrey) e muitos outros. São estes reconhecimentos que dão alento para continuar a realizar mais e melhores documentários curtos. A consciência ambiental como forma de combate às alterações climáticas é necessária.

Obrigado a todos os patrocinadores que se envolveram na produção deste trabalho e que podem ser conhecidos nos créditos do filme. Ficamos assim a aguardar pela possibilidade deste filme passar à fase final e ser premiado como um dos melhores na sua categoria.